Histórias, Curiosidades, Dicas e mais RSS



Papelaria & Eu: Paola Saliby

Paola Saliby é formada em moda, mas foi na ilustração que encontrou a forma de deixar sua marca nesse mundo. Suas ilustrações, são compostas por formas mais geométricas, texturas e cores que acalmam o olhar e podemos navegar nos detalhes. • Quais acessórios você mais gosta de ter sempre sobre sua mesa? Como uso muito lápis grafite e lapiseiras em meus esboços preciso ter esses materiais sempre à mão. Além disso, tenho por perto pelo menos 3 cadernos, um para desenhos a lápis, outro para estudos de cor e pintura e um que uso como agenda. Também gosto de manter meus guaches e pincéis por perto, dentro de uma caixinha. Apesar de não usar muito, os lápis de cor e...

Ler mais



Papelaria & Eu: Ju Amora

Tenho uma relação muito forte com objetos de papelaria, como todos já sabem. Acredito que eles podem estimular ideias, movimentar a criatividade de cada um, única e pessoal. Eu, por exemplo, adoro dar funções para meus cadernos: um para trabalho, um para rascunhar desenhos, um para anotações pessoais e por aí vai. Por isso, achei que seria interessante saber um pouco mais sobre a relação que pessoas que admiro tem com seus acessórios. Vamos ao primeiro? Juliana Amorim, é quem comanda a marca Ju Amora. Artista de mão cheia, que tem como projeto transformar banquetas de madeira em peças personalizadas, com tiragem limitada. As banquetas são pintadas à mão, usando técnicas e materiais diversos. Admiro a sua espontaneidade e como...

Ler mais



O Grampeador do Rei

Desde que surgiu o papel, muitas foram as formas usadas para tentar juntar várias folhas de papel, para que documentos maiores pudessem ser formados, cola, cera, fitas, mas foi só no século XVIII, que o rei francês Luis XV, fez com com que primeiro grampeador fosse criado, para a sua utilização exclusiva.Segundo registros, o primeiro grampeador foi criado para substituir o selo de cera com a insignia da corte. Na época, o acessório era feito de ouro e até decorado com pedras preciosas. Por isso, não era um produto de uso popular.Em 1866, George McGill criou o primeiro grampeador funcional, porém ainda era um trabalho muito braçal e cabia apenas um grampo de cada vez. Foi só em 1895 que...

Ler mais